Protetores

Protetores é o meu primeiro romance. Eu o escrevi depois de algumas sessões de Role Play Game com os amigos. Busquei atingir, ao mesmo tempo, uma mescla de horror e aventura em suas páginas. A Editora Underworld publicou a obra em 2012.

Capa_Protetores

Confira a sinopse

O misterioso Antonio Vilemum convida indivíduos especiais para se tornarem novos Protetores. Entre eles, Jango, o amazonense, Mirah, a oriental, Ordep, um futuro caçador de vampiros, Jhava, uma mulher comum em busca de seu marido, Astrid, a psicóloga, Rufus, o historiador e Gargul, o homúnculo. Na primeira reunião realizada em sua mansão os protagonistas são lançados em uma noite de aventura fantasmagórica. Depois dessa empreitada inicial descobrem que o sobrenatural é parte integrante do mundo em que vivem. Ao tornarem-se Protetores é seu dever proteger os frágeis e indefesos seres humanos da sede de sangue dos vampiros, das garras de lobisomens, dos demônios que pretendem aprisionar almas e de fantasmas em fúria.

Em um cenário urbano se desenrolam suas aventuras e como na vida real alguns personagens buscam seus próprios caminhos, enquanto novos personagens se unem ao grupo ao longo da saga. Esse é um romance de aventura fantástica, com ênfase no horror.

Resenhas

Cesar Silva – Anuário Brasileiro de Literatura Fantástica 2012

“Um grupo de pessoas problemáticas reúnem-se numa mansão gótica em Porto Alegre. Seu anfitrião se apresenta como Antônio Vilemum e informa ao grupo que cada um deles foi escolhido para fazer parte do grupo Protetores, uma antiga sociedade secreta de caçadores de monstros sobrenaturais.

Cada um dos presentes guarda algum tipo de experiência para normal e por elas estão indelevelmente marcados: um caçador de vampiros, uma sensitiva, uma pesquisadora do oculto, uma mulher à procura do marido vampirizado, uma lutadora marcial que detêm duas espadas mágicas e um enorme índio amazônico com um demônio de estimação.

Vilemum ainda esclarece que, caso aceitem o trabalho, serão muito bem remunerados, mas que o trabalho é duro e o perigo de morte não está descartado. Todos aceitam a oferta porque, mais que o dinheiro, estão interessados em desvendar seus próprios mistérios pessoais.

O grupo é imediatamente enviado à sua primeira missão numa casa nos subúrbios da cidade de onde chegou, por telefone, um pedido de socorro. Lá eles irão encontrar um quebra-cabeças macabro, que vai exigir o melhor de cada um para a sobrevivência do grupo.

Assim inicia Protetores, romance de horror que marca a estreia de Duda Falcão em livro solo, autor gaúcho mais conhecido pelos contos publicados em antologias desde 20005. Falcão é professor, graduado em História e mestre em Estudos Culturais, sendo ainda um dos editores do periódico Sagas, da Argonautas Editora.

Protetores não esconde sua origem inspirada nos jogos de representão, os conhecidos RPGs (role play game). O início aqui narrado demonstra todas as características de tipo de dinâmica, no qual um grupo de jogadores dotados de habilidades especiais é reunido por um mestre de jogo e lançado numa missão de alto risco sem nenhuma informação prévia, sendo o sucesso ou o fracasso das ações de cada jogador decididos pelos lances de dados. Pode ser que o autor tenha realmente usado esse recurso para definir a  narrativa de forma geral, mas isso não chega a incomodar porque Falcão tem habilidade na descrição dos cenários e no desenvolvimento dos personagens. O romance é movimentado, com boa fluência narrativa e um clima geral de horror juvenil, sem aprofundamentos filosóficos complexos.

O livro é formado por uma série de aventuras mais ou menos independentes, cada uma delas com um conjunto diferente de personagens, que se revezam com outros agentes que já faziam parte da milícia paranormal de Vilemum.

Temos de tudo um pouco em Protetores: fantasmas, psicopatas, demônios, vampiros, lobisomens, mortos-vivos, possessões, cemitérios, casarões, esgotos, cavernas… Falcão não deixa nada de fora. As aventuras são intercaladas por rápidos interlúdios nos quais o autor desenvolve algumas relações entre os personagens e apresenta o novo – cenário do jogo -. Dessa forma, acompanhamos como cada um dos protagonistas apresentados no início do livro, encontra as respostas que procura, nem sempre de forma totalmente satisfatória ou preservando sua integridade física e moral.

Apesar de ser um livro de horror, a leitura é leve e divertida, deixando a sensação de que a história não acaba na última página deste volume. Os Protetores de Vilemum provavelmente ainda terão muito trabalho pela frente”.

Pat Kovacs – Blog Patriciado

“O livro Protetores conta as aventuras de um grupo organizado pelo misterioso Antonio Vilemum, tendo por missão caçar e destruir criaturas das Trevas, que vão desde vampiros, passando por capetinhas e indo até magos negros! O grupo é formado por pessoas que possuem algum dom especial, variado entre eles, e são reunidas no intuito de criar o grupo para lutar contra as ameaças invisíveis de criaturas trevosas, destruindo esses seres perversos e protegendo as pessoas comuns que sequer imaginam que tais coisas existem além do mundo imaginários.

Jango, Mirah, Ordep, Wells, Jhava, Astrid, Rufus e o pequeno demônio Gargul formam o peculiar grupo de Protetores, regidos sob a batuta de Antonio Vilemum, um sujeito obscuro e inconfiável, auxiliado pela velha índia Fátima, uma vidente que prevê o futuro através dos sonhos, com a capacidade de contatar astralmente a quem ela quiser.

Meu Achismo:

O Romance é contado através de capítulos que são aventuras fechadas em si, lembrando muito a um seriado de TV. Esse tipo de narrativa é uma novidade na Literatura, pois os atuais Escritores têm diversas outras influências em sua bagagem do que os antigos, que apenas possuiam a Literatura propriamente dita, quando muito o Teatro também. E, ao que me parece, Duda Falcão se inspirou nas partidas de RPG que jogou com os amigos, que são devidamente homenageados em sua obra (que inveeejaaa!!!). O texto é ágil, dinâmico, embora eu sinta falta de mais introspecção e passagens mais lentas, que ajudem a conhecer melhor os personagens (sorry, eu sou devagar, é uma das minhas deficiências).

Duda Falcão liberou a sua criatividade ao inserir criaturas e situações sem medo de ser feliz. Até a Deusa Gaia se faz presente em um dos capítulos-episódios de Protetores! Mas não apenas de aventuras e horror vivem os Protetores. Uma das criatividades do Autor foi inserir uma espécie de pausa entre uma aventura e outra, em que aproveitou para contar em off um pouco da vida de cada personagem de forma isolada.

Apesar dos personagens típicos do RPG clássico e de alguns cenários desagradáveis (não gostei de ter que descer ao esgoto junto com os personagens no capítulo “O Amuleto do Barão Moreau” – fiquei nauseada, sério >.< ), Protetores é um livro mais divertido do que aterrorizante, e algumas vezes você se pega ansioso por saber qual a próxima aventura que os heróis enfrentarão, tal qual uma boa série televisiva =)”.

http://patkovacs.blogspot.com.br/2013/07/resenha-protetores-de-duda-falcao.html

Cristiano Rosa – Skoob

“O livro de Duda Falcão foi ótima surpresa. A obra Protetores, publicada pela Editora Underworld, tem 176 páginas e narra aventuras de um grupo de pessoas especiais na defesa do bem. Pelos seus 13 capítulos com títulos longos e um epílogo, o Rio Grande do Sul vira cenários para buscas, caçadas e batalhas.

A trama gira em torno de Vilemum, um homem misterioso que chama várias pessoas para integrar uma organização contra o mal chamada Protetores. Eles receberiam tarefas e teriam que enfrentar algumas criaturas das trevas.

Entre os seres fantásticos, temos fantasmas, demônios, vampiros, zumbis e lobisomens, que aparecem em casas, esgotos, montanhas, cemitérios e até mesmo em sonhos.

Cada novo protetor possui uma arma, um dom ou um conhecimento que utiliza nas tarefas que o líder lança a eles, e muito suspense envolve as aventuras vividas pelo grupo, que se torna unido em prol da proteção das pessoas e da natureza.

No desfecho, há uma espécie de “batalha”, onde o final não é completamente feliz, mas faz jus ao enredo e ao gênero do qual o livro se propõe a ser. A linguagem e o estilo de escrita do autor envolvem e não fantasiam muito os acontecimentos; apesar de sabermos de ser uma ficção, os elementos que estão ali tornam-as quase que verídicas, dando prazer e mais vontade de conhecer a história.

Destaco a mistura de personagens e criaturas que vão surgindo ao longo da trama, que permitem uma diversidade imaginária sem cair no senso comum. Outro ponto forte, na minha opinião, é o clima, sempre tenso e com ar de mistério, e de que a qualquer momento algo vai surpreender a todos, ocasionando medo e oferecendo provas de que no final nem sempre o bem tem que vencer o mal.

A diagramação do volume contém páginas negras e desenhos sombrios, que ajudam a instigar a leitura cheia de drama e suspense. Podemos dizer que é uma fantasia urbana, com muito horror e de alta qualidade. A narrativa é simples, porém muito bem construída, lembrando muitas vezes as partidas de RPG, pelos personagens e cenários que se apresentam ao leitor. O livro Protetores já está na minha lista de obras preferidas dentro do gênero de terror fantástico”.

http://www.skoob.com.br/livro/resenhas/211337

Caique Bruno – Entre Páginas de Livros

“Protetores é um livro de tirar o fôlego onde o leitor conhecerá diversos personagens lutando contra o sobrenatural para garantir a sobrevivência.
Por trás de uma boa recompensa e atraídos através de estranhos sonhos, seis pessoas de diferentes regiões do Brasil se encontram em uma mansão, em Porto Alegre, sendo recepcionados pelo mordomo Rafael. Lá eles conhecem o misterioso Antônio Vilemum que explica para o grupo que eles irão proteger a humanidade de todos os males embarcando em perigosas e suicidas missões e pesquisar sobre o sobrenatural. Além disso, tudo que eles viverem deverá ser guardado em sigilo absoluto. A organização a que eles acabaram de ingressar é antiga, surgiu no fim do século XIX sendo que a filha do fundador está viva até hoje, sendo conselheira do então líder. Essa conselheira, Fátima, foi quem chamou cada pessoa para o grupo através dos sonhos, por meio disso podemos perceber seu poder e o mistério por trás dela.

Os integrantes do grupo são conhecidos como Protetores e esses seis novos que chegaram estão substituindo outros que já morreram ou precisaram ser substituídos. Logo na primeira reunião somos apresentados a cada um deles: Jango, que veio da amazônia e carrega consigo uma anaconda, Mirah que é uma oriental, Jhava que procura seu marido que até então tem agido de maneira estranha com ela, Ordepque é um caçador de vampiros, Rufus historiador e dono de um homúnculo e por fim Astrid que é uma psicóloga. Todos esses tem um motivo em comum que é a razão de estarem ali, que também é revelado aos poucos durante a narrativa.

Logo no início da noite, os Protetores começam sua primeira missão de ir em uma casa mal-assombrada por demônios para salvar Daniel que foi procurar o tio e acabou sendo aprisionado. Porém, as coisas não são tão simples e todos vão passar momentos de terror e aflição tentando se salvar. Depois desse caso ser resolvido os seis integrantes não enxergam outra alternativa a não ser encarar o sobrenatural, enfrentando vampiros, zumbis, lobisomens e fantasmas em locais ainda mais assustadores como cemitérios, esgotos, montanhas, sonhos e outros lugares urbanos que são muito bem descritos.

Ao longo das missões somos apresentados a outros integrantes, alguns dos protetores acabam seguindo o próprio caminho e com outros acontece o inevitável. A todo momento as páginas desse livro viram sozinhas, e o leitor fica praticamente aterrorizado diante da vasta imaginação e criatividade do autor, mas nem por isso as coisas são fantasiosas e exageradas, pelo contrário, sentimos na pele toda a aflição dos personagens.

Os personagens foram bem construídos, cada um com sua personalidade que ajuda nas missões, mas nem em todas os seis estão juntos, as vezes até sozinhos, sem ninguém para ajudá-los. A partir de certo ponto o grupo passa a duvidar e ter raiva do Vilemum, será que ele só está aproveitando dos protetores? O final é muito bom e tenso, tendo uma batalha importante e perigosa que pega todos de surpresa. Algumas respostas são solucionadas e outras ficam na imaginação do leitor.

Protetores é um livro que vale a pena ser lido, ainda mais se você curte um bom horror urbano mesclado com aventura e suspense. Para completar o ótimo enredo a obra é ilustrada com imagens sombrias em preto e branco a cada começo de capítulo, o que vai aguçar a sua criatividade para viajar entre as páginas desse livro”.

http://www.entrepaginasdelivros.com/2013/04/resenha-protetores-de-duda-falcao.html

Celly Borges – Estronho e Esquésito

“Há alguns anos fiz parte de um grupo de leitores e escritores amadores de histórias de terror e horror, naquela época nossa reclamação maior era sobre o fato de não haver um espaço para os livros nacionais do gênero. Isso foi por volta de 2006, quando a literatura fantástica nacional começava a ganhar espaço.

Hoje o gênero, tão adorado por todos daquele grupo, está um pouco mais forte, surgem nomes de peso, como o capixaba Estevão Ribeiro, conhecido pelas tirinhas de Os Passarinhos, que escreveu o romance de terror A Corrente. O inicianteLemos Milani, de Nova Iguaçu, RJ, com seu fantástico terror A Ascensão da Casa dos Mortos, e agora Duda Falcão, com o horror de Protetores (Editora Underworld, 176 pág.). O horror me encanta, me convida. Fato é que Duda Falcão, em seu primeiro romance consegue se encontrar. O autor gaúcho e editor daArgonautas, tinha apenas se aventurado em contos, e em Protetores consegue prender o leitor desde o início.

Protetores narra a história de um grupo escolhido para ficar em uma mansão ricamente adornada, como um bom clássico pede. A ideia inicial remete a livros comoA Assombração da Casa da Colina, de Shirley Jackson e Hell House – A Casa Infernal, de Richard Matheson, nesses dois casos os contratados usam seus poderes especiais para desvendar os fenômenos das casas. No caso da história de Falcão, as pessoas têm poderes especiais que podem combater o mal fora dali, não se prendem ao sobrenatural de um único local. Esses personagens, contatados através de sonhos por uma velha em cadeira de rodas. Segundo ela, são pessoas que têm algo a resolver, tenham uma ligação com o mundo espiritual, através dos sonhos buscam a sua ajuda.

No primeiro capítulo o grupo é requisitado para ajudar numa casa mal assombrada. O desenrolar dessa parte causa desconforto, principalmente ao se ler num dia chuvoso como aconteceu comigo – bem típico das histórias do gênero. Protetores é um livro de horror com vários elementos dos clássicos, como os nomes de alguns personagens, seres fantásticos, casa mal assombrada e vampiros, que tem que ser lido por curiosos e fãs do gênero, aproveite essa nova leva de autores talentosos para conhecer o melhor do terror e horror nacional”.

http://estronho.com.br/site/index.php/cultura/literatura/literastronho/86-resenha-protetores-o-horror-de-duda-falcao

Foto: Roberta Scheffer

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s